jornal impresso

Edição impressa

24 Abril 2014

Ver capas anteriores

  • Diretor: Octávio Ribeiro
  • Diretores-adjuntos: Armando Esteves Pereira, Eduardo Dâmaso e Carlos Rodrigues

Após paralisação de sete dias

Greve da Rodoviária do Tejo termina às 22h00

Os trabalhadores da Rodoviária do Tejo terminam esta quarta-feira uma greve parcial de sete dias convocada para reivindicar a manutenção do pagamento das horas extraordinárias, a atualização dos salários e o fim da precariedade.

 

A greve parcial dos trabalhadores da Rodoviária do Tejo, empresa presente em 43 municípios dos distritos de Santarém e Leiria, teve início no dia 28 de fevereiro e termina esta quarta-feira às 22h00.

Em causa, explicou à agência Lusa Manuel Castelão, do Sindicato dos Trabalhadores dos Transportes Rodoviários e Urbanos de Portugal, está o facto de o salário dos trabalhadores não ter atualizações há quatro anos.

Relativamente à greve de sete dias, Manuel Castelão adiantou que Santarém foi o distrito mais afetado com a paralisação, com uma adesão de 70%, enquanto em Leiria foi de apenas 15%.

O sindicalista referiu ainda que foram levantados processos disciplinares aos trabalhadores que se recusaram a cumprir o serviço mínimo decretado pelo Governo.

Contactado pela agência Lusa, Orlando Ferreira, um dos administradores da Rodoviária do Tejo, rejeitou a existência de qualquer ameaça aos trabalhadores, mas reconheceu que foram levantados processos disciplinares àqueles que não aceitaram cumprir o serviço mínimo.

"Foi decretado pelo Governo, através de uma sugestão nossa, que o transporte escolar deveria ser assegurado. Esse seria o serviço mínimo. Por isso, faz sentido ter levantando processos disciplinares aos trabalhadores que se recusaram a seguir essas indicações", justificou.

Orlando Pereira explicou que a administração da transportadora teve como principal preocupação que os alunos não deixassem de ir à escola.

O administrador disse ainda que a empresa negociou com os sindicatos um aumento de 1,2% no salário, "o único possível para já".

"O setor dos transportes vive uma realidade cada vez mais difícil. Há cada vez menos passageiros e não pedimos a ajuda de ninguém. Temos de tentar adaptar-nos à realidade que temos", afirmou.

Na transportadora Rodoviária do Tejo trabalham atualmente cerca de 680 pessoas, sendo que 450 são motoristas.

  • Corrigir
  • Feedback
  • PARTILHAR      
Pub
Comentários a esta notícia
COMENTAR
Título
Texto

Nota: Os comentários deste site são publicados são da exclusiva responsabilidade dos seus autores. O Correio da Manhã reserva-se ao direito de apagar os comentários abusivos e com linguagem inadequada.

Aparecer como anónimo - Ao escolher opção os seus dados (nome e e-mail) serão ocultados.

Registe-se no site do CM para deixar de preencher os seus dados pessoais quando comenta as noticias.
COMENTAR
Título
Texto
Nome
Email
Localidade
Anónimo

Nota: Os comentários deste site são publicados são da exclusiva responsabilidade dos seus autores. O Correio da Manhã reserva-se ao direito de apagar os comentários abusivos e com linguagem inadequada.

Aparecer como anónimo - Ao escolher opção os seus dados (nome e e-mail) serão ocultados.

Pub
Pub


SONDAGEM

LIGA EUROPA: Benfica é favorito frente à Juventus?

Votar »« Ver resultados


<>
VEJA AQUI MAPA ACTUALIZADO
Copyright © 2011. Todos os direitos reservados. É expressamente proíbida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte,
sem prévia permissão por escrito da Presslivre, S.A. ,
uma empresa Cofina Media - Grupo Cofina.
Consulte as condições legais de utilização.