SUBSCREVA A NOSSA NEWSLETTER

A notícia foi guardada na sua lista de notícias favoritas. Faça a gestão dessa área na sua conta.
Mais sobre
13.03.2013  17:31
Homicida de patrão alega legítima defesa
Arguido argumentou que agiu num quadro de legítima defesa e negou ter desviado dinheiro da empresa.

  • Partilhe

Um homem, de 39 anos, acusado de ter matado o patrão, argumentou esta quarta-feira no tribunal de Santa Maria da Feira que agiu em legítima defesa, negando ainda ter desviado dinheiro da empresa, como sustenta a acusação.

"Nunca tirei dinheiro da empresa", afirmou, no início do julgamento, Paulo Rocha, que é suspeito de ter matado, em maio de 2012, o gerente da Presdouro, uma empresa de prefabricados em betão, em São João de Ver.

O arguido dedicou a maior parte do seu depoimento a explicar os movimentos financeiros da empresa, onde trabalhou cerca de 18 anos, com vista a justificar a diferença existente entre a folha de caixa e o registo diário realizado por si.



Siga o CM no Facebook.

MAIS SOBRE
Enviar o artigo: Homicida de patrão alega legítima defesa
Comentários
enviar
MAIS NOTÍCIAS DE Portugal
Receba diariamente as principais notícias ok
voltar ao topo