A notícia foi guardada na sua lista de notícias favoritas. Faça a gestão dessa área na sua conta.
16.02.2014  21:14
Detida por homicídio admite ser assassina em serie
Miranda Barbour, 19 anos, da Pensilvânia, disse que matou pelo menos 22 pessoas enquanto fez parte de uma seita satânica.

A adolescente americana acusada do homicídio de um homem, depois de o ter atraído para um encontro no site ‘Craigslist', revelou ser uma assassina em serie que parou de contar as mortes quando chegou ao 22º homicídio.

Elytte Barbour, de 22 anos, e Miranda Barbour tiveram o primeiro contacto com a vítima através do site de classificados, em novembro.

Troy LaFerrara conheceu os Barbour depois de Miranda concordar fazer sexo com ele por cerca de 73 euros.  Miranda aguardou LaFerrara no centro comercial enquanto o seu marido os esperava escondido na mala do carro. O ministério público pretende acusar casal Barbour pelo homicidio do homem de 42 anos.

"Discutimos e as coisas ficaram fora de controlo", Explicou Miranda à polícia.  Mais tarde o corpo foi encontrado num beco Sunbury, na Pensilvânia.

Em declarações ao jornal ‘Sunbury'  Miranda Barbour acabou por confessar que esta foi a primeira vez que esteve envolvida num assassinato desde que saiu do culto satânico, no Alasca, de que fazia parte desde os treze anos. De acordo com as declarações, o jovem o líder do culto levou-a a matar pessoas que lhe deviam dinheiro.

"Quando eu cheguei às 22, eu deixei de contar". A maioria das mortes aconteceu no Alasca, mas Miranda revelou que também houve assassinatos no Texas, Carolina do Norte e Califórnia.

O jornal adiantou ainda que Miranda não se arrepende do que fez, acrescentando que, se fosse libertada "o faria de novo."

Mas que está pronta para revelar à polícia tudo sobre as outras vitimas. "Eu posso identificar os locais num mapa e vocês podem encontrá-los", disse.

Enviar o artigo: Detida por homicídio admite ser assassina em serie
Comentários
enviar
MAIS NOTÍCIAS DE Mundo