Foto Fotomontagem CM
Carla Bargão e Bernardo Pedro, pais da jovem esfaqueada
A notícia foi guardada na sua lista de notícias favoritas. Faça a gestão dessa área na sua conta.
31.05.2011  00:30
“Encontrei a minha filha desfigurada”
Bruna Bargão foi submetida a uma operação durante cinco horas. Agressora, de 17 anos, está presa em Tires.

"Fui encontrar a minha filha completamente desfigurada no hospital. Foi horrível. Na sexta-feira ela pediu-me autorização para ir a uma festa, mas nunca pensei que terminasse daquela maneira. Além de ser esfaqueada, está toda furada na cabeça e nas costas", contou ontem ao CM Bernardo Pedro, pai de Bruna Bargão, a jovem de 14 anos que foi esfaqueada 17 vezes na sexta-feira em Mem Martins, Sintra, conforme o CM avançou no domingo.

A agressora, de 17 anos, Denise Melo, já está presa em Tires, onde vai aguardar julgamento. Está indiciada por tentativa de homicídio, ofensas à integridade física agravadas e detenção de arma proibida.

Segundo Bruna Bargão, que teve ontem alta do Hospital Dona Estefânia, em Lisboa, o ataque foi originado pelo "pedido de apenas 10 euros" – que recusou emprestar à agressora. A jovem foi submetida a uma operação que durou cinco horas e teve de ser suturada com cem pontos entre a cara e a cabeça.

Bruna deixou de estudar no ano passado, quando frequentava o 7º ano e depois da separação dos pais. "Ela gosta de sair com os amigos, mas a partir de agora vai ser difícil voltar a confiar deixá-la sair. Fiquei em choque com a maldade que lhe fizeram. Só espero que não fique com marcas na cara", disse o pai.

AGRESSORA CHORA NA PRISÃO E PEDE À MÃE QUE NÃO MORRA DE DESGOSTO

Denise Melo, de 17 anos, está a aguardar julgamento em prisão preventiva no Estabelecimento Prisional de Tires. Manuela Melo, a mãe da agressora, disse ao CM que a filha nunca lhe deu problemas antes. "Ela às vezes entra nos comboios sem bilhete, mas nunca tinha feito uma coisa destas", afirmou.

"Ela sabe que eu sofro do coração e por isso só me pede para que eu não morra de desgosto. Telefono-lhe todos os dias e ela está sempre a chorar, a sofrer muito", continuou.

Foi a mãe que, na noite do crime, contactou a PSP a dar conta de que a filha estava em casa. Foi detida de seguida e entregue à Judiciária.

"GOLPES ASSUSTARAM-ME MUITO"

Ontem à tarde Carla Bargão, mãe de Bruna, foi buscá-la ao hospital Dona Estefânia. "Ela estava já cansada de estar no hospital. Temos medo é que agora fique marcada na cara. Os golpes são profundos e assustaram-me muito", disse ao CM a mulher, emocionada.

"Agora tenho de acreditar na recuperação. Ela vem para casa e em Setembro se já estiver bem vai ter de voltar a estudar numa escola profissional", continuou a mãe. Carla Bargão disse que quando recebeu a notícia "não tinha noção da gravidade das lesões".

AGRESSORA IA PARA LONDRES

Segundo a mãe de Denise Melo, a jovem de 17 anos ia em breve para Londres para arranjar trabalho. A mãe iria com ela, uma vez que tem lá o filho mais velho empregado. "Ele vinha buscar-nos e agora vamos ficar assim, com ela na prisão e eu longe dela", disse a mãe.

AGRESSORES NÃO MOSTRARAM ARREPENDIMENTO

Rodolfo e Bárbara, 18 e 16 anos, respectivamente, que espancaram uma jovem de 13 anos em Benfica e publicaram o vídeo das agressões no Facebook, não mostraram qualquer arrependimento do que fizeram quando foram presentes ao juiz Carlos Alexandre, no sábado de manhã, no Tribunal de Instrução Criminal. Os dois mantiveram-se em silêncio, mostrando calculismo a conselho dos advogados. A atitude contribuiu para que o juiz aplicasse a prisão preventiva a ambos.

 

Enviar o artigo: “Encontrei a minha filha desfigurada”
Comentários
enviar
MAIS NOTÍCIAS DE Domingo