jornal impresso

Edição impressa

23 Julho 2014

Ver capas anteriores

Previsões
  • Diretor: Octávio Ribeiro
  • Diretores-adjuntos: Armando Esteves Pereira, Eduardo Dâmaso e Carlos Rodrigues
Bruno Colaço

Os animais já foram vistos dentro da zona urbana de Azeitão

Histórias

A invasão dos javalis

Extinta há décadas, a espécie voltou em força à Arrábida. Deixam um rasto de prejuízos e de sustos.

Por:José Carlos Marques

 

Andassem os javalis pelas encostas desabitadas da serra da Arrábida e talvez mais pessoas partilhassem a opinião de Eduardo Deitado, 69 anos, residente na Aldeia Grande. "Os javalis têm aparecido na quinta onde eu trabalho. Procuram a água do sistema de rega e não têm feito grandes estragos. São animais selvagens, temos de viver com eles."

O problema é quando os bichos se chegam aos homens, insensíveis aos perigos de estradas municipais e nacionais, para se banquetearem das bolotas que brotam da meia dúzia de sobreiros de um parque urbano.

Foi o que aconteceu em Vila Nogueira de Azeitão há duas semanas. "Vieram duas noites seguidas, escavaram à volta das árvores e destruíram o relvado em redor das árvores. Há casas ali a poucos metros. Já entram dentro da povoação, estamos perante uma praga de javalis." Celestina Neves, presidente da Junta de Freguesia de São Lourenço – a maior das que ficam na zona do Parque Natural da Arrábida – conta que "desde há dois anos que o problema se tem vindo a agravar". "Tenho recebido queixas de danos em propriedades e os animais estão a pôr em risco a flora única da serra." Há meses, o encontro imediato entre um carro e um javali em plena Estrada Nacional 10 – no troço entre Azeitão e Setúbal – teve um desfecho pouco simpático: muita chapa amolgada, um animal ferido e uma condutora em estado de choque. Cresce a preocupação de que acidentes como este se repitam, com consequências mais graves.

CAÇA DIFÍCIL

As incursões dos javalis, espécie que regressou à Arrábida há cerca de quatro anos, depois de se terem extinguido na região no início do século passado, levaram à realização de uma reunião entre moradores, autarcas, autoridades e empresários da região. António Soares Franco, presidente da empresa vinícola José Maria da Fonseca, esteve nessa reunião, em que se discutiram formas de controlar a população de javalis. "Sou caçador há mais de quarenta anos e vai ser muito difícil controlar os animais que andam na serra. Já se fizeram caçadas com montarias [prática em que se usam cães], mas o terreno da Arrábida não é propício. Não há clareiras que permitam fazer tiro em segurança e com eficácia. O que se pode fazer é organizar esperas, mas isso obrigaria a que se concedessem novas licenças de caça aos proprietários dos terrenos, o que o Parque não permite há muitos anos."

Soares Franco tem licença para caçar nas suas terras e já abateu alguns animais. Mas para a caça ser eficaz seria preciso haver um esforço coletivo. "Teria de haver um entendimento entre os proprietários para uma caça organizada, com comedouros que atraíssem os animais. O javali caça-se com uma carabina equipada com um óculo. Só se tem uma oportunidade de acertar", explica o empresário, para quem a pior opção é não fazer nada. "Os javalis da Arrábida estão sem controlo. Continuam a reproduzir-se e a população está a crescer. É impossível dizer ao certo quantos animais andam por aqui, mas arriscaria dizer que serão entre 150 a 200."

 1 de 4|Seguinte Ver texto completo
Outras de Domingo
Pub
Comentários a esta notícia
  • Comentário feito por:Bruno
  • 28 Julho 2013

Façam um estudo para quantificar ou pelo menos ter uma estimativa da população de javalis na Arrábida, façam os cálculos e os modelos para estimar quantos são precisos para ter uma população estável e autorizem a caça.

  • Comentário feito por: Anónimo
  • 28 Julho 2013

ANTES DE HAVER LÁ HOMENS, JÁ OS JAVALIS LÁ ANDAVAM HÁ MILHARES DE ANOS. O HOMEM É QUE TEM DE SE ADAPTAR.

  • Comentário feito por:caparica
  • 28 Julho 2013

Se as entidades não passam licença para o abate dos javalis, abata-se os responsos

  • Comentário feito por:ze
  • 28 Julho 2013

É bom que as pessos tenham consciência que são animais selvagens e muito perigosos, sobretudo se tiverem filhotes por perto. Não foi nessa zona, mas eu já tive uma experiência complicada com bichinhos desses.

  • Comentário feito por:cao sém dono
  • 28 Julho 2013

Mas isto ainda nao é nada. comparando com a invazao de menistros que vivem há nossa custa e nos burlam todos os dias há que comecar a caca aus menistros o quanto antes.!

  • Comentário feito por: Anónimo
  • 28 Julho 2013

...tanto javali a provocar prejuizos e tanto caçador esfomeado de dar ao gatilho...!

  • Comentário feito por:zediogo
  • 28 Julho 2013

No Governo há animais mais perigosos e ninguém se lembra de os abater!

Página

    • Comentário feito por:zediogo
    • 28 Julho 2013

    No Governo há animais mais perigosos e ninguém se lembra de os abater!

    • Comentário feito por: Anónimo
    • 28 Julho 2013

    ...tanto javali a provocar prejuizos e tanto caçador esfomeado de dar ao gatilho...!

    • Comentário feito por:cao sém dono
    • 28 Julho 2013

    Mas isto ainda nao é nada. comparando com a invazao de menistros que vivem há nossa custa e nos burlam todos os dias há que comecar a caca aus menistros o quanto antes.!

    • Comentário feito por:ze
    • 28 Julho 2013

    É bom que as pessos tenham consciência que são animais selvagens e muito perigosos, sobretudo se tiverem filhotes por perto. Não foi nessa zona, mas eu já tive uma experiência complicada com bichinhos desses.

    • Comentário feito por:caparica
    • 28 Julho 2013

    Se as entidades não passam licença para o abate dos javalis, abata-se os responsos

    • Comentário feito por: Anónimo
    • 28 Julho 2013

    ANTES DE HAVER LÁ HOMENS, JÁ OS JAVALIS LÁ ANDAVAM HÁ MILHARES DE ANOS. O HOMEM É QUE TEM DE SE ADAPTAR.

    • Comentário feito por:Bruno
    • 28 Julho 2013

    Façam um estudo para quantificar ou pelo menos ter uma estimativa da população de javalis na Arrábida, façam os cálculos e os modelos para estimar quantos são precisos para ter uma população estável e autorizem a caça.

    • Comentário feito por:cao sém dono
    • 28 Julho 2013

    Mas isto ainda nao é nada. comparando com a invazao de menistros que vivem há nossa custa e nos burlam todos os dias há que comecar a caca aus menistros o quanto antes.!

    • Comentário feito por:zediogo
    • 28 Julho 2013

    No Governo há animais mais perigosos e ninguém se lembra de os abater!

    • Comentário feito por:Bruno
    • 28 Julho 2013

    Façam um estudo para quantificar ou pelo menos ter uma estimativa da população de javalis na Arrábida, façam os cálculos e os modelos para estimar quantos são precisos para ter uma população estável e autorizem a caça.

    • Comentário feito por: Anónimo
    • 28 Julho 2013

    ...tanto javali a provocar prejuizos e tanto caçador esfomeado de dar ao gatilho...!

    • Comentário feito por: Anónimo
    • 28 Julho 2013

    ANTES DE HAVER LÁ HOMENS, JÁ OS JAVALIS LÁ ANDAVAM HÁ MILHARES DE ANOS. O HOMEM É QUE TEM DE SE ADAPTAR.

    • Comentário feito por:ze
    • 28 Julho 2013

    É bom que as pessos tenham consciência que são animais selvagens e muito perigosos, sobretudo se tiverem filhotes por perto. Não foi nessa zona, mas eu já tive uma experiência complicada com bichinhos desses.

    • Comentário feito por:caparica
    • 28 Julho 2013

    Se as entidades não passam licença para o abate dos javalis, abata-se os responsos

    • Comentário feito por:ze
    • 28 Julho 2013

    É bom que as pessos tenham consciência que são animais selvagens e muito perigosos, sobretudo se tiverem filhotes por perto. Não foi nessa zona, mas eu já tive uma experiência complicada com bichinhos desses.

    • Comentário feito por:caparica
    • 28 Julho 2013

    Se as entidades não passam licença para o abate dos javalis, abata-se os responsos

    • Comentário feito por: Anónimo
    • 28 Julho 2013

    ANTES DE HAVER LÁ HOMENS, JÁ OS JAVALIS LÁ ANDAVAM HÁ MILHARES DE ANOS. O HOMEM É QUE TEM DE SE ADAPTAR.

    • Comentário feito por: Anónimo
    • 28 Julho 2013

    ...tanto javali a provocar prejuizos e tanto caçador esfomeado de dar ao gatilho...!

    • Comentário feito por:Bruno
    • 28 Julho 2013

    Façam um estudo para quantificar ou pelo menos ter uma estimativa da população de javalis na Arrábida, façam os cálculos e os modelos para estimar quantos são precisos para ter uma população estável e autorizem a caça.

    • Comentário feito por:zediogo
    • 28 Julho 2013

    No Governo há animais mais perigosos e ninguém se lembra de os abater!

    • Comentário feito por:cao sém dono
    • 28 Julho 2013

    Mas isto ainda nao é nada. comparando com a invazao de menistros que vivem há nossa custa e nos burlam todos os dias há que comecar a caca aus menistros o quanto antes.!

    COMENTAR
    Título
    Texto

    Nota: Os comentários deste site são publicados são da exclusiva responsabilidade dos seus autores. O Correio da Manhã reserva-se ao direito de apagar os comentários abusivos e com linguagem inadequada.

    Aparecer como anónimo - Ao escolher opção os seus dados (nome e e-mail) serão ocultados.

    Registe-se no site do CM para deixar de preencher os seus dados pessoais quando comenta as noticias.
    COMENTAR
    Título
    Texto
    Nome
    Email
    Localidade
    Anónimo

    Nota: Os comentários deste site são publicados são da exclusiva responsabilidade dos seus autores. O Correio da Manhã reserva-se ao direito de apagar os comentários abusivos e com linguagem inadequada.

    Aparecer como anónimo - Ao escolher opção os seus dados (nome e e-mail) serão ocultados.

    Pub
    Pub


    SONDAGEM

    EDUCAÇÃO: Prova dos professores foi um sucesso para o Ministério?

    Votar »« Ver resultados

    SONDAGEM

    EDUCAÇÃO: Ministério faz bem em insistir na avaliação dos professores?

    Votar »« Ver resultados


    <>
    VEJA AQUI MAPA ACTUALIZADO
    Copyright © 2011. Todos os direitos reservados. É expressamente proíbida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte,
    sem prévia permissão por escrito da Presslivre, S.A. ,
    uma empresa Cofina Media - Grupo Cofina.
    Consulte as condições legais de utilização.