jornal impresso

Edição impressa

30 Julho 2014

Ver capas anteriores

Previsões
  • Diretor: Octávio Ribeiro
  • Diretores-adjuntos: Armando Esteves Pereira, Eduardo Dâmaso e Carlos Rodrigues
Ricardo Almeida

D. José Policarpo analisou o estado do País

Igreja: D. José Policarpo refere “ameaça” para reformas

D. Policarpo: “Dinheiro só dá para mês e meio”

Patriarca emérito de Lisboa diz que Portugal paga por erros da especulação financeira.

Por:João Saramago

 

Em caso de incumprimento das metas estabelecidas no pedido de resgate, Portugal só teria dinheiro para mês e meio. O alerta partiu do patriarca emérito de Lisboa, D. José Policarpo, que ontem em Setúbal avisou que, nesse cenário, "não haveria dinheiro para pagar salários e pensões".

"Parece que ninguém sabe que Portugal está numa crise e dá a ideia que todos reagem como se o Estado pudesse satisfazer as suas reivindicações", disse D. José Policarpo. "Se todos pusessem em primeiro lugar o bem comum e fizessem qualquer coisa que ajudasse a resolver o problema, estou convencido de que isto nos custava metade do preço e do sofrimento", referiu.

Para D. José Policarpo, a crise resulta dos erros cometidos com a especulação financeira. Recorde-se que em abril de 2011, aquando do pedido de resgate, o então ministro das Finanças, Teixeira dos Santos, referiu que Portugal só tinha dinheiro até maio desse ano.

O cardeal falava perante 200 pessoas na conferência ‘Caridade é a fé em ação', promovida pelo Secretariado da Ação Social e Caritativa da Diocese de Setúbal. Por sua vez, o presidente da Cáritas, Eugénio da Fonseca, considerou que a situação atual resulta da política portuguesa ter sido conduzida no interesse de "clientelas e grupos corporativos fortes".

"O que nos falta a todos é esse sentido do bem comum. Se assim fosse, talvez alguns quisessem renunciar às duplas reformas que têm. Talvez aceitassem baixar agora os altos rendimentos", acrescentou. "Basta ver que até o Orçamento do Estado que está para aprovar tem cortes preconizados para determinadas classes, mas dispensa outras que estão no mesmo regime da Função Pública. É inadmissível", acrescentou.

  • Corrigir
  • Feedback
  • PARTILHAR      
Pub
Comentários a esta notícia
  • Comentário feito por:Avelino
  • 29 Outubro 2013

Se acredita em Deus e milagres porque não reza para salvar os pobres criados pelos politicos e a Troika e não se meter na politica.

  • Comentário feito por: Anónimo
  • 28 Outubro 2013

o sr bispo dei-a o sue ordenado para o estado pagar as dividas já agora abra a porta do seu refeitorio para os pobres la irem comer falar de boca cheia é muito facil quanto é o valor da sua reforma?

  • Comentário feito por: Anónimo
  • 28 Outubro 2013

Deixou o Patriarcado e agora em vez de se resignar em oração vem a público meter-se na politica.Senhor Cardeal siga os ensinamentos do Papa Francisco e reze, reze muito por si e pelos outros. Assim sim será um exemplo.

  • Comentário feito por: Anónimo
  • 28 Outubro 2013

Deixou o Patriarcado e agora em vez de se resignar em oração vem a público meter-se na politica.Senhor Cardeal siga os ensinamentos do Papa Francisco e reze, reze muito por si e pelos outros. Assim sim será um exemplo.

  • Comentário feito por: Anónimo
  • 28 Outubro 2013

o sr bispo dei-a o sue ordenado para o estado pagar as dividas já agora abra a porta do seu refeitorio para os pobres la irem comer falar de boca cheia é muito facil quanto é o valor da sua reforma?

  • Comentário feito por:Avelino
  • 29 Outubro 2013

Se acredita em Deus e milagres porque não reza para salvar os pobres criados pelos politicos e a Troika e não se meter na politica.

  • Comentário feito por: Anónimo
  • 28 Outubro 2013

Deixou o Patriarcado e agora em vez de se resignar em oração vem a público meter-se na politica.Senhor Cardeal siga os ensinamentos do Papa Francisco e reze, reze muito por si e pelos outros. Assim sim será um exemplo.

  • Comentário feito por: Anónimo
  • 28 Outubro 2013

o sr bispo dei-a o sue ordenado para o estado pagar as dividas já agora abra a porta do seu refeitorio para os pobres la irem comer falar de boca cheia é muito facil quanto é o valor da sua reforma?

  • Comentário feito por:Avelino
  • 29 Outubro 2013

Se acredita em Deus e milagres porque não reza para salvar os pobres criados pelos politicos e a Troika e não se meter na politica.

  • Comentário feito por:Avelino
  • 29 Outubro 2013

Se acredita em Deus e milagres porque não reza para salvar os pobres criados pelos politicos e a Troika e não se meter na politica.

  • Comentário feito por: Anónimo
  • 28 Outubro 2013

o sr bispo dei-a o sue ordenado para o estado pagar as dividas já agora abra a porta do seu refeitorio para os pobres la irem comer falar de boca cheia é muito facil quanto é o valor da sua reforma?

  • Comentário feito por: Anónimo
  • 28 Outubro 2013

Deixou o Patriarcado e agora em vez de se resignar em oração vem a público meter-se na politica.Senhor Cardeal siga os ensinamentos do Papa Francisco e reze, reze muito por si e pelos outros. Assim sim será um exemplo.

COMENTAR
Título
Texto

Nota: Os comentários deste site são publicados são da exclusiva responsabilidade dos seus autores. O Correio da Manhã reserva-se ao direito de apagar os comentários abusivos e com linguagem inadequada.

Aparecer como anónimo - Ao escolher opção os seus dados (nome e e-mail) serão ocultados.

Registe-se no site do CM para deixar de preencher os seus dados pessoais quando comenta as noticias.
COMENTAR
Título
Texto
Nome
Email
Localidade
Anónimo

Nota: Os comentários deste site são publicados são da exclusiva responsabilidade dos seus autores. O Correio da Manhã reserva-se ao direito de apagar os comentários abusivos e com linguagem inadequada.

Aparecer como anónimo - Ao escolher opção os seus dados (nome e e-mail) serão ocultados.

Pub
Pub


SONDAGEM

BENFICA: Nico Gaitán faz falta ao plantel?

Votar »« Ver resultados


<>
VEJA AQUI MAPA ACTUALIZADO
Copyright © 2011. Todos os direitos reservados. É expressamente proíbida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte,
sem prévia permissão por escrito da Presslivre, S.A. ,
uma empresa Cofina Media - Grupo Cofina.
Consulte as condições legais de utilização.