jornal impresso

Edição impressa

17 Abril 2014

Ver capas anteriores

  • Diretor: Octávio Ribeiro
  • Diretores-adjuntos: Armando Esteves Pereira, Eduardo Dâmaso e Carlos Rodrigues

Violência - Mendigo em fúria parte óculos e tira dinheiro

Padre Feytor Pinto agredido na igreja

O padre Vítor Feytor Pinto foi ontem agredido na igreja do Campo Grande, em Lisboa, no final da missa das 12h00, quando cumprimentava os fiéis ainda paramentado.

Por:João Saramago

 

Ao pároco do Campo Grande já não lhe bastava ver o seu nome envolvido numa carta remetida em nome dos responsáveis do ‘site’ www.pensabem.net – a incentivar à denúncia junto do Vaticano da opinião de Feytor Pinto sobre o uso do preservativo. Foi agredido por um mendigo habitual à porta da igreja.
Na origem dos distúrbios, uma breve declaração no fim da missa. O pároco pediu aos fiéis para não darem esmolas à porta da igreja, – e que dissessem aos mendigos para se dirigirem à obra de assistência social da paróquia onde lhes seria prestado apoio alimentar.
Escassos minutos depois, um mendigo entrou na igreja: insultou o padre, deu-lhe uma bofetada, arrancou-lhe os óculos da cara e pisou-os no chão. O agressor ainda tentou repetir a agressão. Só não o conseguiu porque vários fiéis surgiram em defesa de Feytor Pinto.
No exterior da igreja, o homem retirou dez euros de uma banca onde eram vendidas camisolas no âmbito de uma campanha de recolha de fundos para a deslocação de fiéis à Jornada Mundial da Juventude, a Colónia (Alemanha).
Uma patrulha da PSP foi chamada ao local. O mendigo disse que se revoltou por o padre ter pedido para não lhe darem esmolas – e devolveu o dinheiro que retirara da banca. Feytor Pinto está disposto a apresentar queixa contra o agressor.
"CARTAS ANÓNIMAS PARA O LIXO"
Fiéis da paróquia do Campo Grande estavam ontem indignados com a circulação de uma carta anónima enviada por ‘e-mail’ que apela à denúncia junto do Vaticano da posição do padre Feytor Pinto sobre o preservativo.
Ao CM, muitos fiéis mostraram-se solidários com o pároco do Campo do Grande – que admite o uso do preservativo quando, por exemplo, um dos membros do casal está infectado com o vírus da SIDA. “O Homem tem de dar valor à vida, não pode matar ninguém e não pode adoptar a imoralidade sistemática”, disse Feytor Pinto em entrevista publicada na edição do último dia 11.
“O lugar das cartas anónimas é no arquivo vertical, ou seja, no lixo”, disse, ontem, durante a homilia. “Não julgues para não seres julgado”, acrescentou, sublinhando, no final, o “dever de não julgar e não condenar”, porque “quem o fizer não é cristão”.
QUEIXA AO VATICANO
"PRESERVAR A VIDA"
“As afirmações do padre Feytor Pinto sobre o uso do preservativo não saem da linha orientadora da Igreja. Ele diz que o mais importante é preservar a vida, com a adopção de uma atitude responsável e sem que haja uma banalização do sexo.” João Afonso (39 anos)
"OUVIR EM VEZ DE CASTIGAR"
“A posição do padre Feytor Pinto é a de um comunicador que procura ouvir as partes com sabedoria e ver as causas mais profundas de cada homem. É uma visão próxima de Jesus Cristo. Ou seja, uma visão misericordiosa em vez de castigar ou julgar.” Maria Rosário Azevedo (38 anos)
"RESPEITAR AS IDEIAS"
“Cartas anónimas sobre as ideias do padre Feytor Pinto existem porque uma das maiores dificuldades existentes é aprender a respeitarmo-nos sempre uns aos outros. Importante é que a Igreja vive para lá das divergências e sabe construir uma verdade no espírito da tolerância.” António Azevedo (40 anos)
  • Corrigir
  • Feedback
  • PARTILHAR      
Pub
Comentários a esta notícia
  • Comentário feito por:ns
  • 18 Julho 2005

Nao esta em causa o ter dito para nao dar esmola ao raio do mendigo. Se tem corpo para bater tambem tem corpo para trabalhar.O problema e a queixinha a policia, por parte de quem vem. Alias, eu sugiro a estes senhores, para irem andar incognitos durante um mes no comboio da linha de Sintra para ver se continuam tao cheios de compaixao. Vai ser queixinhas todos os dias!

  • Comentário feito por:Rogério Martins
  • 18 Julho 2005

Pena que parte das pessoas que está aqui a comentar misture dois temas e mais pena ainda que não tenham estado presentes na missa das 19h de domingo em que o P.e Feytor Pinto pediu perdão ao Sr. Carlos.

  • Comentário feito por:Isabel Martins
  • 18 Julho 2005

Acho muito bem o critério que o P. Feytor Pinto utiliza para estas situações. Quando há mendigos, pessoas com fome, drogados, não se dá esmolas fora da igreja. Esta Paroquia responde aos casos das pessoas que vão lá nessas situações, dando-lhes comida e o mais que precisarem. Quanto à queixa, na homilia das 19h, percebi que não ia ser apresentada.

  • Comentário feito por:Carlos Bento
  • 18 Julho 2005

Quantos dos pobres actuais jã não viveram uma vida digna e feliz.A má gestão financeira e política dos sucessivos governos levaram milhares de portugueses ao desemprego e à desgraça. Lamento o que aconteceu ao padre Feitor Pinto. Seria bom que os políticos pensassem e se ocupassem mais das pessoas carenciadas e lhes resolvessem os seus problemas.
Monte de Caparica.

  • Comentário feito por:Karadas
  • 18 Julho 2005

A Igreja devia ter vergonha, em nome da Igreja e da religião faz-se tudo mata-se esfola-se etc...foi a pior coisa que apareceu ao cimo da terra. Pelo menos este homem teve a coragem de não matar mais uns milhares que são contaminados todos os anos à conta da Igreja que manda para a morte os seus fieis.Eduquem com sabedoria e deixem a demagogia barata,por isso é que os jovens não ligam nenhuma...

  • Comentário feito por:Joao Nunes
  • 18 Julho 2005

Estou certo, constacto pela noticia, que a paróquia do Padre Feytor Pinto tem um óptimo programa de reinserção social. Na verdade não é gratificante nem humano nem, muito menos, Cristão ver as pessoas pedir à porta da Igreja. Falta arranjar emprego a estas pessoas... Talvez o Padre Feytor Pinto consiga também fazer algo neste campo e Lisboa seria uma cidade feliz...

  • Comentário feito por:Pedro Santos
  • 18 Julho 2005

O senhor padre está mais habituado ao jet-set e à comunicação social do que com os que têm de pedir esmola. Um pouco de modéstia não lhe fazia mal.

  • Comentário feito por:Benedito Marime
  • 18 Julho 2005

Antes de mais, a minha solidariedade com o Padre Vítor Feytor Pinto, que conheci aqui em Moçambique, em 1966, há portanto, 39 anos. Grande Padre aquele! Quanto ao homem que o agrediu, acho bem que o Padre Vítor o processe, pois de necessitado, em termos de esmola, nada tem: forte o suficiente para agredir, lúcido para se programar, porque é que o homem não se faz ao trabalho? Bolas, caramba!

  • Comentário feito por:Mira Martins
  • 18 Julho 2005

Só quem, como o padre Feytor Pinto, conhece a vida e aconselha "não julgues para não seres julgado" pode aconselhar igualmente que, em circunstâncias que o justifiquem, se use o preservativo. Só os fundamentalistas se opõem, os que não se suportam, mais às suas fraquezas.

  • Comentário feito por:Lina
  • 18 Julho 2005

Há o ditado que aqui se aplica e responde aos comentários que criticam o padre de apresentar queixa: «Faz o que eu digo não faças o que eu faço»! Pois, pregar aquelas palvras de Deus, é muito bonito, evocar o perdão, etc.! O pior é quando nos toca a nós. Será que se perdoa assim, facilmente? Mas que mendigo agressivo!

Página

  • Comentário feito por:Kenny
  • 18 Julho 2005

Sempre gostei muito deste Padre e acho lamentável o que aconteceu! No entanto, ele não deveria ter dito aquilo porque o dever da Igreja é de ajudar os pobres! Também acho lamentável que ainda exista gente que esteja contra o uso do preservativo visto que este último permite salvar vidas!

  • Comentário feito por:ns
  • 18 Julho 2005

Só é noticia, porque aconteceu com um "colunavel". Isto é o pão nosso de cada dia do cidadão comum. Acho que não devia ser apresentada queixa, pois isso só vai contribuir para agravar a exclusão social do pobre do mendigo que não passa de um desfavorecido! De qualquer modo, daqui a uns tempos a Diana Andringa prova que a agressão não existiu...

  • Comentário feito por:Edmundo Cardoso
  • 18 Julho 2005

A carta enviada por e-mail, é de certeza uma "vingançazinha", pois quem conhece o Sr. P. Feitor Pinto, sabe o tipo de pessoa que ele é: autoritário, convencido, só ele é que sabe e tem razão, é egoísta, chegando a ser mau para os colegas de profissão (se isto não se admite em pessoas "normais" muito menos num padre). Acresce a brutal dor de cotovelo por ainda ser "só" prior de uma igreja.

  • Comentário feito por:Alexandre Guerreiro
  • 18 Julho 2005

Visão misericordiosa? E em vez de perdoar o mendigo, vai logo fazer queixa dele? Isto é que é entender? O homem já é miserável e ainda o vão pôr mais para baixo? Rico Padre... rica Igreja. Onde é que está a posição do "perdoar a quem nos ofende"?

  • Comentário feito por:conceicao videira
  • 18 Julho 2005

Jesus não disse que se lhe batessem na face dava o outro lado?
Pois foi o que lhe aconteceu!

  • Comentário feito por:Abilio Duarte
  • 18 Julho 2005

Como diz a Dna Rosário, o Sr. Feytor Pinto,"tem uma visão próxima de Jesus Cristo. Ou seja, uma visão misericordiosa em vez de castigar ou julgar." António Azevedo,tambem comenta, que:" a Igreja vive para lá das divergências e sabe construir uma verdade no espírito da tolerância.” Eu pergunto: Onde está a misericordia e tolerância do Sr.padre, que não sabe perdoar a um mendigo? Agiria Jesus assim?

  • Comentário feito por:Marta do Carmo
  • 18 Julho 2005

Então é mais importante os jovens irem passear para a Alemanha do que dar "um mimo" a um mendigo?! Porque é que se pensa que os mendigos apenas necessitam de comer? E ainda vai apresentar queixa, o Sr. Padre!!! E a caridade cristã, onde pára?! (Lisboa)

  • Comentário feito por:Joana Almeida
  • 18 Julho 2005

Apresentar queixa contra um mendig sr. Padre? Nem parece coisa de padre. Diz para perdoarmos e você é o primeiro a não perdoar. Só pensa em dinheiro?

  • Comentário feito por:Jou
  • 18 Julho 2005

Sr. padre tem que dar a outra face e não pode apresentar queixa, contra um mendigo. Mas eu gostava de ver o mendigo julgado o juiz ia condená-lo a pagar os óculos e às custas do tribunal ou ia pô-lo na cadeia com tecto, comida e roupa lavada?

  • Comentário feito por:jocaopinto
  • 18 Julho 2005

A maioria dos mendigos que se encontram as portas das igrejas e não só,a pedir quase todos podem trabalhar e para o provar está esse que agrediu o Padre, por isso mandem-nos trabalhar (Oliveira de Azemeis).

  • Comentário feito por:Kenny
  • 18 Julho 2005

Sempre gostei muito deste Padre e acho lamentável o que aconteceu! No entanto, ele não deveria ter dito aquilo porque o dever da Igreja é de ajudar os pobres! Também acho lamentável que ainda exista gente que esteja contra o uso do preservativo visto que este último permite salvar vidas!

  • Comentário feito por:ns
  • 18 Julho 2005

Só é noticia, porque aconteceu com um "colunavel". Isto é o pão nosso de cada dia do cidadão comum. Acho que não devia ser apresentada queixa, pois isso só vai contribuir para agravar a exclusão social do pobre do mendigo que não passa de um desfavorecido! De qualquer modo, daqui a uns tempos a Diana Andringa prova que a agressão não existiu...

  • Comentário feito por:Edmundo Cardoso
  • 18 Julho 2005

A carta enviada por e-mail, é de certeza uma "vingançazinha", pois quem conhece o Sr. P. Feitor Pinto, sabe o tipo de pessoa que ele é: autoritário, convencido, só ele é que sabe e tem razão, é egoísta, chegando a ser mau para os colegas de profissão (se isto não se admite em pessoas "normais" muito menos num padre). Acresce a brutal dor de cotovelo por ainda ser "só" prior de uma igreja.

  • Comentário feito por:Alexandre Guerreiro
  • 18 Julho 2005

Visão misericordiosa? E em vez de perdoar o mendigo, vai logo fazer queixa dele? Isto é que é entender? O homem já é miserável e ainda o vão pôr mais para baixo? Rico Padre... rica Igreja. Onde é que está a posição do "perdoar a quem nos ofende"?

  • Comentário feito por:conceicao videira
  • 18 Julho 2005

Jesus não disse que se lhe batessem na face dava o outro lado?
Pois foi o que lhe aconteceu!

  • Comentário feito por:Abilio Duarte
  • 18 Julho 2005

Como diz a Dna Rosário, o Sr. Feytor Pinto,"tem uma visão próxima de Jesus Cristo. Ou seja, uma visão misericordiosa em vez de castigar ou julgar." António Azevedo,tambem comenta, que:" a Igreja vive para lá das divergências e sabe construir uma verdade no espírito da tolerância.” Eu pergunto: Onde está a misericordia e tolerância do Sr.padre, que não sabe perdoar a um mendigo? Agiria Jesus assim?

  • Comentário feito por:Marta do Carmo
  • 18 Julho 2005

Então é mais importante os jovens irem passear para a Alemanha do que dar "um mimo" a um mendigo?! Porque é que se pensa que os mendigos apenas necessitam de comer? E ainda vai apresentar queixa, o Sr. Padre!!! E a caridade cristã, onde pára?! (Lisboa)

  • Comentário feito por:Joana Almeida
  • 18 Julho 2005

Apresentar queixa contra um mendig sr. Padre? Nem parece coisa de padre. Diz para perdoarmos e você é o primeiro a não perdoar. Só pensa em dinheiro?

  • Comentário feito por:Jou
  • 18 Julho 2005

Sr. padre tem que dar a outra face e não pode apresentar queixa, contra um mendigo. Mas eu gostava de ver o mendigo julgado o juiz ia condená-lo a pagar os óculos e às custas do tribunal ou ia pô-lo na cadeia com tecto, comida e roupa lavada?

  • Comentário feito por:jocaopinto
  • 18 Julho 2005

A maioria dos mendigos que se encontram as portas das igrejas e não só,a pedir quase todos podem trabalhar e para o provar está esse que agrediu o Padre, por isso mandem-nos trabalhar (Oliveira de Azemeis).

  • Comentário feito por:Kenny
  • 18 Julho 2005

Sempre gostei muito deste Padre e acho lamentável o que aconteceu! No entanto, ele não deveria ter dito aquilo porque o dever da Igreja é de ajudar os pobres! Também acho lamentável que ainda exista gente que esteja contra o uso do preservativo visto que este último permite salvar vidas!

  • Comentário feito por:ns
  • 18 Julho 2005

Só é noticia, porque aconteceu com um "colunavel". Isto é o pão nosso de cada dia do cidadão comum. Acho que não devia ser apresentada queixa, pois isso só vai contribuir para agravar a exclusão social do pobre do mendigo que não passa de um desfavorecido! De qualquer modo, daqui a uns tempos a Diana Andringa prova que a agressão não existiu...

  • Comentário feito por:Edmundo Cardoso
  • 18 Julho 2005

A carta enviada por e-mail, é de certeza uma "vingançazinha", pois quem conhece o Sr. P. Feitor Pinto, sabe o tipo de pessoa que ele é: autoritário, convencido, só ele é que sabe e tem razão, é egoísta, chegando a ser mau para os colegas de profissão (se isto não se admite em pessoas "normais" muito menos num padre). Acresce a brutal dor de cotovelo por ainda ser "só" prior de uma igreja.

  • Comentário feito por:Alexandre Guerreiro
  • 18 Julho 2005

Visão misericordiosa? E em vez de perdoar o mendigo, vai logo fazer queixa dele? Isto é que é entender? O homem já é miserável e ainda o vão pôr mais para baixo? Rico Padre... rica Igreja. Onde é que está a posição do "perdoar a quem nos ofende"?

  • Comentário feito por:conceicao videira
  • 18 Julho 2005

Jesus não disse que se lhe batessem na face dava o outro lado?
Pois foi o que lhe aconteceu!

  • Comentário feito por:Abilio Duarte
  • 18 Julho 2005

Como diz a Dna Rosário, o Sr. Feytor Pinto,"tem uma visão próxima de Jesus Cristo. Ou seja, uma visão misericordiosa em vez de castigar ou julgar." António Azevedo,tambem comenta, que:" a Igreja vive para lá das divergências e sabe construir uma verdade no espírito da tolerância.” Eu pergunto: Onde está a misericordia e tolerância do Sr.padre, que não sabe perdoar a um mendigo? Agiria Jesus assim?

  • Comentário feito por:Marta do Carmo
  • 18 Julho 2005

Então é mais importante os jovens irem passear para a Alemanha do que dar "um mimo" a um mendigo?! Porque é que se pensa que os mendigos apenas necessitam de comer? E ainda vai apresentar queixa, o Sr. Padre!!! E a caridade cristã, onde pára?! (Lisboa)

  • Comentário feito por:Joana Almeida
  • 18 Julho 2005

Apresentar queixa contra um mendig sr. Padre? Nem parece coisa de padre. Diz para perdoarmos e você é o primeiro a não perdoar. Só pensa em dinheiro?

  • Comentário feito por:Jou
  • 18 Julho 2005

Sr. padre tem que dar a outra face e não pode apresentar queixa, contra um mendigo. Mas eu gostava de ver o mendigo julgado o juiz ia condená-lo a pagar os óculos e às custas do tribunal ou ia pô-lo na cadeia com tecto, comida e roupa lavada?

  • Comentário feito por:jocaopinto
  • 18 Julho 2005

A maioria dos mendigos que se encontram as portas das igrejas e não só,a pedir quase todos podem trabalhar e para o provar está esse que agrediu o Padre, por isso mandem-nos trabalhar (Oliveira de Azemeis).

COMENTAR
Título
Texto

Nota: Os comentários deste site são publicados são da exclusiva responsabilidade dos seus autores. O Correio da Manhã reserva-se ao direito de apagar os comentários abusivos e com linguagem inadequada.

Aparecer como anónimo - Ao escolher opção os seus dados (nome e e-mail) serão ocultados.

LOGIN
Utilizador
Password

Esqueceu-se da palavra-chave?

Registe-se


Registe-se no site do CM para deixar de preencher os seus dados pessoais quando comenta as noticias.

COMENTAR
Título
Texto
Nome
Email
Localidade
Anónimo

Nota: Os comentários deste site são publicados são da exclusiva responsabilidade dos seus autores. O Correio da Manhã reserva-se ao direito de apagar os comentários abusivos e com linguagem inadequada.

Aparecer como anónimo - Ao escolher opção os seus dados (nome e e-mail) serão ocultados.


Pub
Pub


SONDAGEM

IMPOSTOS: É possível descer IRS esta legislatura?

Votar »« Ver resultados


<>
VEJA AQUI MAPA ACTUALIZADO
Copyright © 2011. Todos os direitos reservados. É expressamente proíbida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte,
sem prévia permissão por escrito da Presslivre, S.A. ,
uma empresa Cofina Media - Grupo Cofina.
Consulte as condições legais de utilização.