jornal impresso

Edição impressa

18 Abril 2014

Ver capas anteriores

  • Diretor: Octávio Ribeiro
  • Diretores-adjuntos: Armando Esteves Pereira, Eduardo Dâmaso e Carlos Rodrigues
d.r.

Televisão Digital Terrestre

‘Apagão’ analógico arranca esta semana

Alenquer é a primeira localidade a receber a Televisão Digital Terrestre. País desliga emissão tradicional até Abril de 2012.

Por:Sofia Piçarra

 

No próximo dia 12, quinta-feira, começa a desenhar-se, a partir de Alenquer, um novo mapa nas transmissões televisivas em Portugal. A localidade, na região Oeste do País, é a primeira a viver o ‘apagão’ do sinal analógico, que passa a ser substituído pelo digital, dando início à chegada da Televisão Digital Terrestre (TDT). Até Abril de 2012, todo o território nacional vai estar servido pela TDT, uma medida aplicada a nível europeu e conhecida por ‘Switch Off’ (‘apagão’).

O processo tem suscitado várias dúvidas junto dos telespectadores, quer a nível dos aparelhos necessários para continuar a receber o sinal, quer pelo custo das novas instalações. Segundo dados da Autoridade Nacional de Comunicações (ANACOM), cerca de 1,5 milhões de lares em Portugal recebem apenas televisão em sinal aberto (RTP 1, RTP 2, SIC e TVI) e são estes consumidores que vão ter de preparar os seus equipamentos para o sinal digital, já que quem tem serviços de televisão paga não será afectado.

A maioria dos aparelhos de televisão mais recentes já aceita o novo sinal e indica, nas características, que suporta a tecnologia DVB-T e a norma de vídeo MPEG-4/H.264. Mas, para os mais antigos, vai ser necessário adquirir um descodificador, uma ‘set top box’, semelhante à utilizada para receber o sinal dos operadores de televisão por cabo.

Este aparelho pode custar entre 50 euros, na versão mais básica, e cerca de 200 euros para os mais avançados, que permitem, por exemplo, a gravação de programas. Os descodificadores, de várias marcas, estão à venda nas lojas de electrodomésticos e material electrónico. Nas habitações onde exista mais do que um televisor, todos terão que ter um descodificador de TDT.

O sistema está desenhado para ser intuitivo e prevê que seja o próprio cliente a proceder à instalação e sintonização da ‘set top box’. Basta ligar o cabo de antena ao descodificador e, com um cabo scart ou HDMI, ligar o aparelho ao televisor.

Os cidadãos com comprovada carência social, como beneficiários do rendimento mínimo, reformados e pensionistas com menos de 500 euros mensais ou portadores de deficiências, podem pedir um apoio que será, no máximo, de 22 euros e que se estende também às instituições de solidariedade social.

Para responder a todas as dúvidas, a PT, empresa responsável pela infra-estrutura da rede, e a ANACOM vão realizar sessões de esclarecimento junto da população e disponibilizam uma linha de apoio ao cliente, através do 800200838 e da página on-line www.tdt.telecom.pt.

  • Corrigir
  • Feedback
  • PARTILHAR      
Pub
Comentários a esta notícia
COMENTAR
Título
Texto

Nota: Os comentários deste site são publicados são da exclusiva responsabilidade dos seus autores. O Correio da Manhã reserva-se ao direito de apagar os comentários abusivos e com linguagem inadequada.

Aparecer como anónimo - Ao escolher opção os seus dados (nome e e-mail) serão ocultados.

LOGIN
Utilizador
Password

Esqueceu-se da palavra-chave?

Registe-se


Registe-se no site do CM para deixar de preencher os seus dados pessoais quando comenta as noticias.

COMENTAR
Título
Texto
Nome
Email
Localidade
Anónimo

Nota: Os comentários deste site são publicados são da exclusiva responsabilidade dos seus autores. O Correio da Manhã reserva-se ao direito de apagar os comentários abusivos e com linguagem inadequada.

Aparecer como anónimo - Ao escolher opção os seus dados (nome e e-mail) serão ocultados.

Pub
Pub


SONDAGEM

SONDAGENS: PSD/CDS (33,7%) vai recuperar terreno para PS (40,9%)?

Votar »« Ver resultados


<>
VEJA AQUI MAPA ACTUALIZADO
Copyright © 2011. Todos os direitos reservados. É expressamente proíbida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte,
sem prévia permissão por escrito da Presslivre, S.A. ,
uma empresa Cofina Media - Grupo Cofina.
Consulte as condições legais de utilização.